<a href="/ledif/publicacoes/discurso-e-producao-de-subjetividade-em-michel-foucault">Artigo: &quot;Discurso e produção de subjetividade em Michel Foucault&quot;</a> Assista ao documentário &quot;Foucault por ele mesmo&quot; <a href="/ledif/publicacoes/sumula-da-reuniao-realizada-no-dia-25032010">Confira a súmula da primeira reunião do LEDIF</a> Confira o Portail Michel Foucault, onde encontrará muito conteúdo sobre o autor

Integrante do Ledif lança livro sobre o sujeito e a verdade em José Saramago

D S T Q Q S S
 
 
 
 
 
 
1
 
2
 
3
 
4
 
5
 
6
 
7
 
8
 
9
 
10
 
11
 
12
 
13
 
14
 
15
 
16
 
17
 
18
 
19
 
20
 
21
 
22
 
23
 
24
 
25
 
26
 
27
 
28
 
29
 
30
 
 
 
 
 
 
 
Add to calendar

A profa. Dra. Karina Luiza de Freitas Assunção, integrante do Ledif, lança o livro "O sujeito, a subjetividade e a verdade em José Saramago", fruto de sua pesquisa de doutorado na Universidade Federal de Uberlândia (UFU). 

Texto de Apresentação 

As contribuições de Michel Foucault ao campo da Análise do Discurso vêm conquistando cada vez mais pesquisadores na atualidade, o que demonstra o alcance das problematizações desse autor aos estudos discursivos e às análises de distintas discursividades. Em sintonia com os historiadores da Nova História, Michel Foucault pesquisou documentos de natureza diversa, deslocando-se da indicação dos grandes acontecimentos e/ou marcos comemorativos, tão comuns à História Tradicional, para acolher e pesquisar a vida “dos homens infames”. Ao problematizar o conceito de sujeito e de subjetividade, numa perspectiva histórica, esse pensador abandona a ideia de sujeito como centro e/ou universalidade para refletir sobre formas de sujeito plurais e até marginais. Inscrita nessa linha de pesquisa, Karina Luiza de Freitas Assunção aciona o pensamento de Foucault como “caixa de ferramentas” para o estudo da verdade na literatura de José Saramago, o que se configura como um gesto de leitura promissor, pois a narrativa de Saramago, ao “reescrever” a história, desloca verdades petrificadas do passado e nos convida a ler/reler esse mesmo passado com outros olhos. Este livro é, portanto, um convite a você, leitor, para uma oportunidade singular de refletir sobre a construção histórica da(s) verdade(s) sob o prisma de Michel Foucault e pelas lentes ficcionais de José Saramago. Ambos nos ensinaram e ensinam que as verdades não são evidentes em si mesmas! Assim como a autora deste livro, o leitor estará bem acompanhado e, se aceito o desafio, terá a oportunidade de perceber qu e as “vontades de verdade” são construções discursivas, históricas e sociais. Elas atravessam os sujeitos e os constituem, seja na ficção ou vida social.

Antônio Fernandes Junior

Creative Commons 3.0
- Direitos reservados a LEDIF 2011
Laboratório de Estudos Discursivos Foucaultianos - CNPq